Não é possível ter disciplina sem esforço, pois essa é uma conquista do ser humano através dos séculos. Em contrapartida, pessoas disciplinadas frequentemente obtêm sucesso, ou seja, o prêmio da disciplina é a realização de sonhos, a segurança e também o conforto de saber que foi possível realizar tarefas difíceis para a maioria das pessoas.

Infelizmente, desde a infância aprendemos a ter pouca simpatia pela disciplina, porque tal prática leva à inflexibilidade do comportamento e às regras rígidas que não permitem transgressão. Exige força de vontade acima do normal. Por consequência, as crianças não gostam de perder liberdade para se enquadrarem nas regras dos adultos, pois têm um mundo a explorar.

Nada melhor que não ter horário para acordar, manter o quarto bagunçado, deixar de fazer os deveres escolares e não cumprir compromissos assumidos. Afinal, tudo isso é liberdade. Então, há muitos motivos que levam à indisciplina. Até que percebemos que a frouxidão disciplinar faz com os fracassos se acumulem ainda na infância, na adolescência e, não raro, causem até catástrofes na idade adulta e velhice, por tantos assuntos pendentes ou mal resolvidos. Muitas vezes tentar consertar não dá certo.

Disciplina é uma decisão pessoal e não é difícil de obter, diferentemente do pensamento de muita gente. A questão toda se prende aos objetivos que temos em mente. Certo professor comentou em sala de aula que terminou o namoro porque a namorada queria ir a uma festa e ele pretendia estudar. Resultado: a disciplina o levou a passar no concurso de promotor de justiça e, em seguida, a juiz. Já a namorada…

O exemplo acima dá a dimensão do sucesso. Deixar de atender aos apelos sociais exige, sim, renúncia e determinação. A partir do momento que decidimos mudar algo é preciso perseverança, a maior aliada de pessoas que querem a superação de obstáculos. Porém, nesse caso, a rigidez e a inflexibilidade da disciplina compensam todo o esforço.

Comentaram também que Einstein era indisciplinado e mesmo assim se destacou nas ciências. É preciso entender, porém, que o grande cientista era desleixado com a aparência, mas ninguém como ele conseguia manter a rigidez disciplinar dos métodos na busca de soluções matemáticas, até conseguir elaborar a teoria da relatividade.

Disciplina e sucesso, portanto, são elos da mesma corrente. O que dizem por aí, que foi sorte, é pura enganação. O único lugar em que sucesso vem antes de trabalho é no dicionário, por causa da sequência das letras “s” e “t”.

 A sociedade é toda disciplinada. Então, se procurarmos estabelecer regras para nós mesmos, sem que precisemos de vigilância ou fiscalização para cumprir, teremos muito mais condições para encarar os desafios.

No dia 16 de outubro de 1976 decidi praticar corridas, numa época em que quase não se falava desse tipo de esporte, à exceção do famoso teste de Cooper, no qual era exigida corrida de apenas doze minutos. Nos primeiros três meses foi muito difícil manter a disciplina de acordar às 5h30min para correr, tomar banho e trabalhar. Depois, a prática deixou de pesar. Passou a ser hábito que me acompanha por mais de 37 anos. E é grande fonte de prazer e sensação de poder.

A decisão de praticar corridas trouxe muito mais benefícios. Quem se dispuser a ler o interessante livro “Corpo ativo mente desperta” – A nova ciência do exercício físico e do cérebro, do Dr. John J. Ratey (neurocientista e psiquiatra) e Eric Hagerman, Editora Objetiva, irá comprovar que somente a disciplina de praticar exercícios físicos proporciona benefícios cerebrais incríveis, entre eles a criação e a conexão de neurônios.

 

Como aliviar a prática da disciplina

 

A melhor forma de obter a disciplina é dar os comandos cerebrais certos. Exemplo: determinada pessoa tem muita dificuldade controlar os hábitos alimentares e está obesa. Esse é um caso típico que atormenta boa parte da população mundial.

O primeiro passo é preparar o cérebro com comandos afirmativos, assim: “desejo perder peso, por isso vou controlar o que como, diminuindo a quantidade e melhorando a qualidade; farei também exercícios físicos. Assim não irei me afastar dos meus objetivos”. Pensamentos como esses devem ser diários, por várias vezes, principalmente quando estamos em estado de relaxamento, principalmente ao dormir.

Não podemos permitir que a dúvida se instale e não devemos ceder diante das tentações. Se o cérebro entender que há algum vacilo no comando, ele mesmo irá sabotar a disciplina pretendida. Essa é a nossa tendência autodestrutiva.

Creio que as questões ligadas ao paladar são difíceis de contornar porque estão diretamente conectadas ao sistema de recompensa imediato.

Ver uma torta de nozes estimula o desejo, que por sua vez aguça a vontade comer. Feita a refeição, o paladar se satisfaz e envia o comando para o cérebro de que o prazer foi atendido. Nesse caso, é preciso investir na rigidez e ter em mente que a disciplina dificilmente permite exceções. O melhor é desviar imediatamente o foco do desejo, isto é, sair do ambiente que seduz o mais rápido possível e mudar os pensamentos para outro foco.

Aquela parcela de jovens que passa nos vestibulares mais difíceis ou nos concursos mais desafiadores sabe muito bem que renunciaram aos prazeres em troca da possibilidade de um futuro melhor. Nessas situações, raramente alguém se arrepende da decisão de abdicar de baladas, jogos de computador e outras tentações.

O grande prêmio, no entanto, está na nova maneira de viver, com tudo organizado, algo que a disciplina impõe. Aliás, tudo começa com o planejamento da mudança, com objetivos bem específicos.

É necessário, também, quebrar a aversão às regras. Na vida, temos momentos em que as decisões devem ser firmes, por mais que nos contrariem, pois o preço a pagar pela inércia pode ser muito elevado. Então, mergulhar de corpo e alma na nova e decisiva etapa já representa o início da superação.

 

Regras simples

 

1. Reflita sobre as mudanças imprescindíveis e decida executá-las.

2. Estude sobre o assunto, pesquise, conheça mais. Normalmente há questões a resolver que nem temos conhecimento. Por isso, a disciplina impõe uma série de atividades paralelas. Desejar emagrecer sem conhecer o mínimo de nutrição saudável pode gerar problemas de saúde, se não for observado o número de nutrientes necessários.

3. Estabeleça as metas e os instrumentos a usar. Exemplo: emagrecer cinco quilos em três meses. Como? Apenas praticando esportes ou reduzindo a quantidade de comida? Essas são questões a serem decididas e têm importância vital.

4. Inicie a execução do plano disciplinar. Certamente nem tudo sairá como planejado. A mudança de hábito exige esforço extra.

5. Aprenda a controlar emoções. Tão difícil quanto a disciplina alimentar é a disciplina emocional, principalmente em casos amorosos. Entretanto, temos que testar nosso potencial de vencer os obstáculos. Faça disso um jogo interessante de níveis a serem superados. Você acabará até se divertindo com os fracassos e tentativas.

6. Seja criativo nos momentos críticos e não permita a invasão do desânimo. Por mais derrotas que ocorram, as possibilidades de vitória são reais. Certa vez perguntaram a Thomas Alva Edison, inventor da lâmpada elétrica incandescente, qual foi o trabalho para a criação do invento. Ele respondeu que fez dois mil testes. Disseram: “Então você fracassou duas mil vezes”, ao que ele retrucou: “Não. Minha caminhada para a invenção foi composta de dois mil passos, em sequência, até alcançar meu objetivo”. Desnecessário comentar aqui o grau de disciplina do inventor.

7. Passe a encarar as pequenas derrotas como oportunidade de aprimorar a luta travada. Tudo tem um sentido nessa vida. Nem sempre o que parece ruim à primeira vista é desprezível. Pode ter utilidade enorme se analisarmos sob a ótica do crescimento pessoal.

8. Adote o otimismo realista. Isso significa observar as possibilidades em confronto com a realidade. Escreva cada momento agradável, cada pequena vitória. Não deixe para comemorar apenas no final a superação. Afinal, como deixou claro Thomas Alva Edison, os resultados são o encadeamento de vários esforços. Muitos deles podem ser comemorados em parcelas, com otimismo. O desafio é identificar tais situações.

Anúncios