Desde o lançamento do meu livro, “O Templo dos Guerreiros”, tenho a preocupação de demonstrar às pessoas que os métodos que usei durante o tratamento do câncer possuem bases científicas.

No livro, faço citações de cientistas sobre vários temas. E sempre deixei claro que os métodos que usei, baseados em meditações e em técnicas de obtenção do otimismo, funcionam como terapias complementares alternativas aos tratamentos médicos.

As práticas que cito no livro não substituem as quimioterapias e as radioterapias, mas podem melhorar a qualidade de vida dos pacientes, aumentar a eficácia dos medicamentos e, em algumas situações, até possibilitam a redução do tempo do tratamento. É óbvio que tudo depende do paciente e da enfermidade.

Sempre afirmo que a cura do câncer é o resultado direto das medicações e radioterapias prescritas por médicos. A proposta que faço é auxiliar, não pode ser praticada isoladamente sem autorização médica e funcionou muito bem durante o tratamento do câncer que tive.

Tenho enorme preocupação com as soluções ditas milagrosas, nas quais as pessoas se apegam e se esquecem de que a cura vem dos medicamentos e não de uma erva, de uma prática ou substância química, que não têm comprovação da ciência como anticancerígena. Por isso, sempre recomendo que os doentes conversem com médicos e profissionais da saúde sobre os usos alternativos.

Recentemente, a revista da Abrale – Associação Brasileira de linfoma e leucemia publicou matéria que confirma que as práticas que usei, como auxiliares ao tratamento do câncer, têm aceitação pela ciência.

Sob o título “Medicina integrativa – Mente, corpo e espírito”, nas páginas 48 a 51, a revista informa que o Hospital Einstein promoverá entre os dias 4 e 6 de dezembro de 2014, o “I Simpósio Internacional de Medicina Integrativa”, no qual palestrante estrangeiros abordarão o tema. Vale conferir, ainda o belíssimo artigo das páginas 17 e 18.

A revista Abrale anota: “Ao olhar para esses três aspectos (mente, corpo e espírito) a medicina integrativa causa bem-estar ao paciente com câncer. E isso auxilia demais o tratamento.” Curiosamente, na capa do meu livro cito que a harmonia entre o corpo, a mente e o espírito faz manifestar forças poderosas no ser humano.

As duas matérias que cito acima confirmam o que digo no meu livro. Portanto, posso afirmar que os métodos que usei possuem respaldo científico.

Acessem as páginas 48 a 51 e 17 a 18 no link da revista Abrale: http://www.abrale.org.br/web/uploads/files/REVISTA%20ABRALE%2030%20baixa.pdf 

Anúncios